Notícias e Variedades de Macaé
Início » Vida » Ubuntu! Macaenses se mobilizam para ajudar a quem precisa.

Ubuntu! Macaenses se mobilizam para ajudar a quem precisa.

qua, 23/12/2015 - 19:39 -- Divercidades
Categoria: 
Créditos: 
Alle Tavares
gupo de amigos se unem para ajudar ao proximo Macaé ubuntu
Amor ao próximo, generosidade, solidariedade, compaixão com os necessitados e o desejo sincero de 
felicidade e harmonia entre os homens. Isso é Ubuntu! Conceitualmente, Ubuntu é uma filosofia africana cujo
significado se refere à humanidade com os outros. Para os africanos, é a capacidade humana de compreender, 
aceitar e tratar bem o outro. É tudo o que devemos ser, praticar, desejar.
 
Viver Ubuntu está nas menores coisas, nas mais simples atitudes. Está no respeito no trânsito. No se importar
com a alegria e com a tristeza do outro. Em se preocupar com a necessidade material, emocional e física de 
quem é próximo e, sobretudo, de quem não é.
 
Praticar Ubuntu é se mobilizar para garantir o Natal com alimentos e alegria para dezenas de famílias. É
manter instituições sociais somente com doações para garantir lazer e oportunidades a crianças e jovens. É sair 
nas ruas em noites frias para entregar cobertores a pessoas em situação de rua. Ubuntu é o que praticam 
Maurício Gonçalves, Giovanne Fin, Livia Melo, Thais Ribeiro Pessanha, Mônica Canellas, Adriana Mendonça, 
Jefferson Marcos e seus colaboradores. “Gente que se torna mais gente quando ajuda gente a sentir-se gente”, 
como muito bem disse o pastor de Joinville, Thiago Rodrigo, num vídeo sobre Ubuntu, que ganhou repercussão 
nas redes sociais recentemente.
 

CORRENTES DO BEM

 
Inspirados na produção cinematográfica norte-americana “A Corrente do Bem”, dois movimentos com igualMauricio corrente do bem macaé
desejo de fazer o bem sem olhar a quem, ganham destaque em Macaé.
 
Há dois anos, nesta mesma época de Natal, o médico Maurício Gonçalves reuniu amigos e conhecidos para 
angariar recursos e, assim, adquirir cestas básicas destinadas ao Centro de Apoio Flor do Amanhã, ao Centro 
Espírita Vicente de Paulo e Atos em Ação, na Piracema.
 
“Quando propus o movimento pela primeira vez, tive uma resposta positiva e percebi que os maiores 
beneficiados fomos nós que nos empenhamos à causa. Pode ser pouco, mas para quem tem o prato vazio é o 
que importa”, destacou Maurício que, em 2014, deixou adormecida a iniciativa que este ano vem com força total 
e remodelada. Segundo ele, a Corrente do Bem assumiu compromisso de doar mensalmente à “Casa do 
Caminho” 30 cestas básicas, uma ação que mobiliza colaboradores pelo Facebook.
 
“Tenho família, amigos... mas sentia falta de algo mais e a solidariedade vem preencher essa lacuna. Sou 
apenas uma ferramenta para que o bem seja uma realidade”, enfatizou o médico macaense de 43 anos.
 
Também defendendo a “Corrente do Bem” como estratégia, Livia Melo e Thais Ribeiro Pessanha estão 
empenhadíssimas na causa, que tem como meta final a manutenção da Associação Pestalozzi de Macaé. 
 
Elas contam que a Corrente do Bem pela Pestalozzi foi lançada em 7 de maio deste ano, visando angariar 
recursos com a venda de camisas, canecas e realização de eventos e, assim, complementar a manutenção 
da instituição, que assiste 178 pessoas de 0 a 18 anos com necessidades especiais.
 
“Decidimos tornar pública a situação da Pestalozzi e vimos na Corrente do Bem uma forma de sensibilizar e 
envolver a sociedade numa causa séria, fundada em 1973”, disseram Livia, tesoureira e membro da família 
fundadora, e Thais, assessora de divulgação da instituição.

 

SOLIDARIEDADE PELO ESPORTE

 
Aulas de capoeira e de computação. Momentos de lazer e acesso à informação. Assim, 40 crianças são 
assistidas pela Uniarte Abadá Capoeira, no Lagomar, uma iniciativa do empresário Giovanne Fin que, há quatro 
anos, decidiu viver solidariedade e cidadania mantendo o projeto com recursos próprios e com a ajuda de 
colaboradores.
 
“O propósito é tirar as crianças das ruas, dos riscos. A Uniarte assiste 40 crianças, de idades entre 5 e 17 
anos, com atividades duas vezes por semana. É uma ação conjunta com o capoeirista Pedreira, que doou a 
área onde ergui o galpão”, enfatizou Giovanne, que vê no social e na educação, o verdadeiro caminho para a
cidadania.
 

DOE VIDA

 
Voluntária nas ações de outras pessoas e responsável em Macaé pela ONG Doe Vida, Adriana Mendonça 
sabe bem o que é estar na fila de espera para um transplante. Em Macaé desde 1999, ela recebeu um rim 
quando residia ainda no interior de São Paulo, após nove anos de espera, realidade que mudou a sua vida.
 
“Vivi a experiência de esperar e hoje me dedico, pela Doe Vida, à conscientização das pessoas quanto à 
importância de ser doador. Levo minha vivência às pessoas, num trabalho nas empresas”, explicou Adriana, 
sempre empenhada à mudança de atitude das pessoas pela conscientização, para que a lista de doadores seja 
uma crescente.
 

GRANDE MOTIVADORA

 
Incansável, revolucionária, ousada, Mônica Canellas é o que se pode chamar de “a grande motivadora”. 
 
Durante todo o ano, onde aponta uma necessidade, lá estão ela e seus colaboradores com um único propósito:
ajudar.
 
“A solidariedade está na minha vida desde pequena. Sinto uma alegria enorme em poder ajudar o outro e 
tenho grandes parceiros nessa missão”, conta Mônica, que se dedica o ano inteiro a causas sociais, desde sair 
de casa no meio da noite para aquecer uma pessoa em situação de rua com a entrega de um cobertor, até 
fazer o Natal para centenas de pessoas com enxovais completos, entre roupas e itens de higiene.
 
Para este ano, Mônica e sua equipe estão focados na Pestalozzi e em uma comunidade que, até o 
fechamento desta edição, ainda estava indefinida. Mas, a exemplo de todos os anos, padrinhos e madrinhas 
acolherão jovens e crianças com enorme carinho e respeito, regras básicas para participar do movimento, que 
já ocorre há mais de uma década em Macaé.
 

SOLIDARIEDADE

 
A dedicação do jovem Jefferson Marcos Andrade da Silva tem feito a diferença na vida de algumas dezenas de 
crianças e jovens das comunidades do Morro de São Jorge e Ilha Leocádia, onde a ONG Casa do Abraço atua. 
 
O empenho para que a assistência aconteça é integral.
 
No ano de 2010, foi quando tudo começou e, desde então, num processo crescente, a Casa do Abraço tem 
feito parte da vida de 110 crianças, que participam de atividades educativas, recreativas e sociais, recebendo
três refeições por dia, viabilizadas exclusivamente por doações. “Nunca falta nada. Temos colaboradores fixos 
e muitas pessoas nos oferecem ajuda, de muitas maneiras, todo o tempo. Transformar vidas é a minha vida e 
tenho tido a ajuda de pessoas que, como eu, querem ser o sal da terra”, exaltou Jefferson, rodeado e 
acarinhado por um grupo de crianças.
 

SOLDADOS DO BEM

 
A grandiosidade das ações só é possível graças ao voluntariado de pessoas que, incansáveis, fazem as coisas 
acontecerem. Pessoas como Heloisa Araújo, Ana Patricia Cruz, Isaura Chiesse, Lucia Helena Reis, Alexandre 
Carvalho, Georgia Allen, Élida Bodart e Cristina Gonçalves, verdadeiros soldados do bem que, ao mínimo sinal 
de necessidade, seja de quem for, destinam tempo, dinheiro e forças para fazerem a diferença na vida de 
pessoas, quase sempre, desconhecidas.
 
Para Alexandre Carvalho, que desde 2003 tem engajamento em causas sociais, a motivação está no futuro. 
 
“Meu prazer em ajudar está diretamente ligado à satisfação que sinto no ato de ajudar e por acreditar ser este o 
caminho para um futuro melhor para meus filhos. O caos social só não é maior graças à solidariedade”, acredita 
o engenheiro.

 

UBUNTU HOJE, SEMPRE E CADA VEZ MAIS

 
Histórias de pessoas que são o que são porque se importam. Gente que pratica Ubuntu em sua essência e vive 
a consciência de que é afetada quando um semelhante é afetado. Viver Ubuntu é estar no mundo não apenas 
para viver, mas para conviver. Viver com e para as pessoas que estão à volta, buscando tornar satisfatória a 
vida delas no dia a dia.
 
Partilhar, se importar e agir pelo outro é sinal de compaixão. Ninguém é feliz sozinho. As pessoas precisam 
umas das outras para serem felizes. Ninguém é alguém sem outro alguém. Somos únicos, mas feitos para viver 
coletivamente. E isso é maior que educação, religião, política. É vida! E é essa vida, cheia de Ubuntu, que deve
ser vivida, compartilhada, propagada. Vencer desafios e perdas fundamentados na crença de que a união 
 
fortalece, faz o mundo girar numa sintonia mais positiva, movido a uma energia de paz e amor. Energia que
revigora, restabelece, preenche e faz bem.
 
Para quem quiser compartilhar desta energia e colaborar com os nossos entrevistados, não perca tempo. 
 
Ubuntu agora! 
 

Casa do Abraço

Rua Alzemiro Rocha, 123 - Morro São Jorge
 
 
 

Corrente do Bem - Pestalozzi Macaé

 
Corrente do Bem - Casa do Caminho (cestas básicas)
 
 
 

Doe Vida - Macaé

 
Uniarte Abadá Capoeira - Lagomar
 
 

 

Você Transformando Vidas (Mônica Canellas)

Apadrinhamento de jovens e crianças para o Natal
 

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
4 + 2 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.