Notícias e Variedades de Macaé
Início » Esporte » Mulheres ao Mar

Mulheres ao Mar

sex, 26/06/2020 - 12:03 -- Renatta Viana
Categoria: 
Créditos: 
Foto Jackson Ferreira
surfe

Texto Renatta Viana

Edição nº 47/ Setembro 2018

Para muitas mulheres, o mar não se resume mais a um simples mergulho. O que elas querem mesmo é surfar as melhoras ondas, "dropar" (descer a onda) e curtir toda a positividade do esporte. 
A representatividade feminina brasileira no esporte está mais forte. É o que mostra o ranking do surfe feminino 2018 da WSL (World Surf League), a Liga Mundial de Surf, que tem três brasileiras posicionadas entre as 22 melhores surfistas do mundo, Tatiana Weston-Web, Silvana Lima e Taís Almeida respectimvamente. Em 2014, havia apenas uma brasileira no ranking. Em 2015 e 2016, aumentou para duas e em 2017, passou a três.

Surfe

Nas praias de Macaé, elas também estão demonstrando mais interesse no esporte. Segundo o educador físico e professor de surfe Cláudio Alves de Freitas Filho o surfe feminino é bastante forte na Praia do Pecado, onde as aulas acontecem, e as mulheres estão procurando em grande número pelo esporte.
O mais interessante é que a procura pelo surfe tem aumentado e as mulheres chegam à praia com incentivo dos maridos, irmãos, pais e amigos que já pegam onda. Hoje, dou aula de surfe pra cerca de 15 mulheres que se apaixonaram pela liberdade, tranquilidade e paz que o esporte proporciona. Com essa motivação ou por vontade própria, esse estilo de vida vem ganhando cada vez mais espaço entre as mulheres, e, a partir do momento em que elas fazem a primeira aula, todos os tabus e medos são desmitificados”, disse o surfista Cláudio.

surfe
O surfe é para todas, independente de idade e características físicas. A Aymée Agostinho Rezende, de 12 anos prova que tudo isso é verdade. Ela mora em Rio das Ostras e treina em Macaé com o professor Cláudio.
Incentivada pela mãe Flávia Agostinho, Aymée, que já adorava ir à praia e via os surfistas na água, pediu aos pais para fazer uma aula experimental e se apaixonou. “O surfe passou a ser o meu esporte preferido desde a minha primeira aula na escolinha. Me sinto muito à vontade na água, principalmente porque tem outras mulheres comigo e como tive bom desempenho nas aulas, cheguei a participar da segunda etapa do Campeonato Estadual de Surfe em Maricá, ficando em segundo lugar na minha categoria”, disse a pequena surfista, que se sente muito feliz e grata por praticar o esporte.

surfe
Já a macaense Brhuna Neves, de 16 anos, é uma verdadeira estrela do mar. Filha do surfista Cristiano Silva, o Mosquito, ela se destaca com inúmeros títulos, influenciada pelo seu pai que há 33 anos faz história no surfe, sendo o maior recordista de títulos e representante atual do esporte, em Macaé. De acordo com Mosquito, o surfe feminino é muito bem representado no Brasil e no mundo nos mais variados circuitos e competições. “As mulheres fizeram a história do surfe junto com a gente e isso continua acompanhando a demanda. Minha filha, por exemplo, vem dando bons frutos e agora está iniciando na categoria sub 18”, disse o professor.

surfe
Brhuna é campeã macaense feminina e única representante nas competições da região. Além disso, é campeã pré petit (até 10 anos) e campeã petit (até 12 anos) do Circuito de Búzios, vice-campeã estadual carioca sub 16 de 2017, campeã de várias etapas regionais e estaduais; e vem se preparando para ingressar na categoria sub 18 esse ano, treinando para o Circuito Carioca Profissional e Brasileiro Profissional. “Meu pai é a minha base. Aprendi tudo que sei com ele porque além de pai, é meu amigo, treinador e técnico. O surfe é meu estilo de vida, eu cresci na praia e o mar é a minha casa. É aqui que eu passo a maior parte do tempo, principalmente porque estou iniciando a minha carreira profissional”, disse Brhuna que surfa de manhã, estuda a tarde e ainda faz fortalecimento muscular na academia.
Uma grande referência do surfe feminino mundial e que repercute fortemente na mídia, é a surfista Tatiana Weston-Webb, filha de mãe brasileira e pai inglês, nascida em Porto Alegre, mas criada na ilha de Kauai. Ela representava o Havaí nos campeonatos da World Surf League, principal campeonato do surfe mundial. Mas o desejo de estar em uma Olimpíada e a dupla nacionalidade, a fez mudar de planos e hoje a atleta vai representar o Brasil tanto no WSL Championship Tour, quanto na preparação para os Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio.
A também surfista macaense Thelia Soares, de 59 anos, é médica e a convite de um amigo conheceu os professores Cláudio e Mosquito. Segundo ela, em sua primeira aula, apesar de esperançosa, sentiu receio de não conseguir levar adiante. “Com a ajuda dos professores, logo desci a minha primeira onda, vi que tudo era possível e não parei mais. Pra mim, o surfe tem um objetivo lúdico porque não tenho a intenção de competir, é apenas para o meu bem-estar, pela resistência muscular que proporciona e por não ter feito na juventude”, contou Thélia, lembrando que nunca sofreu preconceito e que no mar, todos estão em busca da onda perfeita.

É uma disputa sadia dentro da água. Em minha opinião, o preconceito parte de nós mesmos por achar que o esporte é masculino, difícil ou inacessível. Hoje, a praia está cheia de mulheres, de todas as idades, em busca do mesmo objetivo: conhecer o surfe e se aventurar nesse esporte lindo. A satisfação em pegar onda com o sol nascendo, a energia do mar e dos outros surfistas vibrando, não tem preço”, completou a médica.
 

Benefícios do surfe

Para muitas pessoas, o surfe pode ser um esporte nada fácil no começo, mas uma vez dentro d’água, a experiência transformadora, pode se tornar um estilo de vida. Além de proporcionar o contato com a natureza, que já tem efeito relaxante, o surfe é um ótimo exercício.
Quem pratica ganha mais qualidade de vida e experimenta muitos benefícios, como: diminuição do estresse, já que o corpo libera substâncias que dão a sensação de bem-estar e consciência corporal; fortalecimento e tonificação da musculatura, pois a atividade requer esforço trabalhando todos os músculos do corpo de uma só vez e auxílio no emagrecimento, com a queima de aproximadamente 400 calorias com uma hora de prática. O surfe também melhora a respiração e a capacidade cardiorrespiratória; aumenta a resistência em consequência das remadas e posição em cima da prancha com alternância dos movimentos; traz mais equilíbrio, contribuindo para melhor postura e agilidade para driblar os obstáculos do mar e melhora a coordenação motora, pois a alternância dos movimentos levará à melhora considerável na coordenação. Além disso, amplia o conhecimento, já que o surfista aprende sobre ondulações, ventos, correntes e marés, e aguça a curiosidade em geografia, pois certamente vai querer descobrir onde estão as melhores ondas.
Vale lembrar que é imprescindível encontrar um bom profissional que ajude a conhecer a atividade no mar para descobrir os inúmeros benefícios que ela é capaz de trazer para a vida dos praticantes. O uso do protetor solar é indispensável, principalmente no rosto. Como o sol e o mar ressecam muito, é preciso sempre usar hidratantes corporais e capilares.

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
20 + 0 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.