Notícias e Variedades de Macaé
Início » Esporte » Fisiculturismo projeta atletas macaenses

Fisiculturismo projeta atletas macaenses

seg, 20/01/2020 - 11:08 -- Divercidades
Categoria: 
Créditos: 
Arquivos
Homem fisioculturista

O interesse pelas academias segue em plena expansão em suas mais variadas modalidades. A busca pelo corpo perfeito se popularizou e a prática de atividades físicas com foco no fisiculturismo fez com que o bodybuilding se tornasse um estilo de vida que envolve mais do que ganho de massa muscular e simetria. Exige muita dedicação, comprometimento com o corpo e com o objetivo de chegar ao topo.

três homens O fisiculturismo em Macaé é um esporte com origem nas décadas de 70 e 80. Inspirados em astros do esporte como Arnold Schwarzenegger, Sérgio Oliva, Larry Scott, Dave Drapper, Lou Ferrigno, Frank Zane, Serge Nubret e Rob Robson, nomes como Flávio Losada, Sérgio Mariola e Ica iniciaram a prática do fisiculturismo na cidade, conquistando competições locais e regionais. “Começamos a treinar em casa com o Paulo Peixoto, meu irmão Dalton e um amigo chamado Aquiles. Fizemos alguns pesos e compramos outros que trazíamos do Rio ou de Campos. E mesmo com as dificuldades, nos primeiros campeonatos que participei em Macaé, consegui o primeiro e o segundo lugar”, lembra Flávio Losada, um dos precursores do fisiculturismo em Macaé.

A partir daí, outros nomes locais do esporte apareceram. “Começamos na academia União do Ica. Lá era onde todos os fisiculturistas de Macaé se encontravam. Depois vieram a Academia Artus e a Antônio José, e um grupo maior de fisiculturistas se formou”, completa.

Grupo de precursores do esporte que pôde se sentir homenageado no início deste ano, quando Flávio Losada e Sérgio Mariola receberam uma menção especial durante o evento Mr. Macaé. “Fomos homenageados no Mister Macaé e foi uma grande surpresa. Foi muito legal a lembrança por parte dos organizadores e é muito bom ter esse reconhecimento”, diz Flávio.

 

Construindo um atleta

mulher com medalhasO fisiculturismo cresceu e evoluiu com a expansão no número de academias, as novas tecnologias e métodos de treino. Hoje, a construção de um atleta de alto nível exige uma alimentação balanceada com a prática de exercícios e acompanhamento minucioso por profissionais capacitados para desenvolver o físico e prepará-lo para competição sem que a saúde seja comprometida.

A super campeã Vivian Mussi, além da rotina intensa de treinos, destaca que é indispensável manter uma rigorosa dieta e ajustar horários à rotina alimentar. “A alimentação é bastante restrita. Não faço ingestão de carboidrato e de qualquer tipo de açúcar, a dieta é acompanhada semanalmente e levo minha marmita para onde vou”, revela a atleta, que conta com apoio de algumas empresas da cidade, como a academia Equipe Atlética e a farmácia Água Viva, entre outros.

A bodybuilder faz questão de enfatizar que o acompanhamento profissional é fundamental para se manter saudável em um esporte tão exigente. “Nunca tive nenhum problema de saúde, pois tudo é controlado. E não tem como ser diferente. Sem acompanhamento de profissionais habilitados e competentes, como meu treinador Jeferson Amaro, o médico Rodrigo Schroder, não tenho como ser atleta e não dou um passo”, alerta Vivian.

O atleta Bruno Machado, que também vem se destacando no esporte, diz que o fisiculturismo exige disciplina e a abdicação de muitas coisas. “Treino seis vezes na semana e minha rotina começa às 5h, com um aeróbico em jejum por uma hora. À noite, o treino de musculação e, logo após, mais 30 minutos de aeróbico. No período de preparação, que se inicia de seis a oito semanas antes do campeonato, a alimentação passa a ser ainda mais regrada”, relata.

Bruno ainda lembra que para um corpo são, a mente sã é indispensável. “A mente é um importante instrumento e, se não está totalmente condicionada a suportar a carga emocional de uma competição ou preparação, esse descompasso acaba se refletindo automaticamente na performance esportiva e no resultado”, pontua.

 

Orgulhos da terra

Mulher fisioculturistaTanta dedicação já rende frutos aos dois competidores macaenses. Vívian Mussi, logo em suas primeiras competições na categoria Wellness (mulheres com um corpo não muito musculoso, com padrão de baixa gordura e medidas proporcionais, mantendo as curvas e traços femininos), se sagrou campeã do Mr. Cabo Frio, em 2017, e vice do Mr. Rio, disputado em 2018. Os torneios foram realizados pela International Federation of Bodybuilding and Fitness (IFBB).

Em 2018, ainda veio o título do Mr. Brasil, realizado pela Brasil Fisiculturismo e Fitness (BRAFF) e considerado o Campeonato Brasileiro da categoria. No mesmo ano, ela ainda faturou a 4ª colocação no Mr. Olympia, que foi realizado pela IFBB Pro League pela primeira vez na América do Sul.

Este ano, Vivian confirmou sua estrela ao sagrar-se bicampeã da Wellness no Arnold South América 2019, considerado um dos maiores eventos de fisiculturismo do mundo e que foi realizado em São Paulo. Agora, ela mira vôos ainda mais altos. “Ano que vem, tenho planos de competir no Mister Olympia em Las Vegas (EUA), dependendo dos custos. Não é algo fácil, pois requer muita determinação e são necessárias parcerias, pois ser atleta é um gasto muito grande. Mas, quem tem vontade, precisa ter foco e correr atrás”, pondera.

homem forteJá Bruno Machado, que concorre na categoria Men’s Physique (homens com físico menos musculoso, com aspecto atlético e que avalia questões como simetria corporal e beleza), começou nas competições de fisiculturismo há um ano e meio e já tem em sua estante os troféus do Campeonato Mr. Rio de Janeiro 2019 (BRAFF) e do Campeonato Cariocão 2019 (NPC), que o classificou para o Arnold Classic 2020 e que ele define como inesquecível. Mas ele quer mais. “Infelizmente, no Brasil, os patrocínios ainda são muito baixos. Trabalhamos para que as grandes empresas comecem a enxergar nosso esporte e nos deem oportunidades. Objetivo, determinação e foco são as armas para o sucesso. Levo isso no meu dia a dia”, afirma.

E Bruno mira o futuro sem deixar de exaltar os atletas que abriram portas para o esporte na cidade. “Aqui em Macaé, vale ressaltar dois ícones do esporte na década de 90: Flávio Losada  e Sérgio Mariola. Hoje, atletas da região disputam em diversas categorias. E esse crescimento se deve a essas pessoas. O destaque delas levou uma federação, a BRAFF, a realizar o Mister Macaé aqui este ano”, finaliza.

 

 

Texto Gabriel Coimbra

 

 

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
3 + 0 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.