Notícias e Variedades de Macaé
Início » Colunistas » Corpo fitness » Vale a pena treinar em Jejum?

Vale a pena treinar em Jejum?

qui, 04/08/2022 - 08:56 -- Divercidades
Categoria: 
Créditos: 
Arte web

Na busca pelo emagrecimento ou pelo melhor desempenho esportivo, nem sempre é fácil escolher a melhor dieta. Atualmente, fala-se muito a respeito do jejum intermitente, padrão alimentar que consiste em permanecer períodos prolongados de tempo com pouca ou nenhuma ingestão energética, alternando com períodos de ingestão alimentar normal, a chamada janela alimentar. O principal motivo para essa estratégia permanecer na moda é que se exercitar de estômago vazio pode queimar mais gordura do que um treino após comer. É cientificamente comprovado. Então, por que a polêmica?

O diferencial dos treinos em jejum é que as reservas de glicogênio estão relativamente baixas. Após o jejum noturno, os depósitos de glicogênio (especialmente os armazenados no fígado) ficam bastante reduzidos. Dada a baixa disponibilidade da energia advinda dos carboidratos, o corpo responde aumentando a queima de gordura.

Apesar do selo de aprovação do “comprovado cientificamente”, treinar em jejum traz várias consequências a se levar em conta.

Impactos positivos

1. A maior atuação do sistema simpático, que é o sistema que nos deixa mais alerta, colocando o corpo em estado de luta ou fuga;

2. A possibilidade de melhorar a sensibilidade à insulina, mas vale ressaltar que isso depende de outros fatores, como treinamento e alimentação;

3. A possibilidade de o corpo ser “treinado” para utilizar seus estoques de gordura como fonte de energia.

Impactos negativos

1. Como mencionado acima, na atividade física em jejum, os níveis de glicose do corpo estão baixos e aquela queima de gordura não é suficiente para fornecer a energia que você precisa. Além disso, os níveis de açúcar podem cair, gerando fraqueza, pressão baixa e mais fome.

2. Outro problema de treinar em jejum é que, confiar na gordura como fonte de energia limita automaticamente nossa capacidade para exercícios de alta intensidade. A energia liberada através do metabolismo da gordura é, assim, “lenta” demais para sustentar um treino de alta intensidade.

3. Um estudo publicado no British Journal of Nutrition descobriu que, apesar da oxidação de gordura ter aumentado no grupo que treinava em jejum, o grupo que havia tomado café da manhã acabou queimando 156 calorias a mais durante o mesmo treino de 60 minutos. E o que isso significa? Que o segundo grupo perdeu mais peso, pois um saldo negativo de energia (mais calorias queimadas que ingeridas) é fundamental para a perda de peso.

Vale a pena?

É verdade que treinar em jejum aumenta a resiliência corporal no sentido de utilizar gordura como combustível. Mas os benefícios, a longo prazo, para o funcionamento corporal e para os efeitos relativos ao condicionamento físico ainda precisam ser confirmados.

Se quiser melhorar seu condicionamento físico, queimar calorias e ganhar massa muscular, invista no que realmente funciona: treino de média a alta intensidade!

Contatos:

IG Essencial Fit

Email: atendimento@essencialfit.com.br

Tel: 22 2142 4729

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
4 + 11 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.

Marca da Agência Logomotiva - Presença Digital - Agência desenvolvedora e mantenedora