Notícias e Variedades de Macaé
Início » Colunistas » Casa Show » Projeto legal e projeto executivo, qual a real diferença?

Projeto legal e projeto executivo, qual a real diferença?

qui, 31/03/2022 - 11:50 -- Divercidades
Categoria: 
Créditos: 
Arquivo
O desenvolvimento de um projeto é cheio de etapas e o projeto executivo, pode-se dizer que é a etapa final.

Vamos ser objetivos? Para uma obra fluir com tranquilidade e contar com orçamento
preciso, é importante respeitar todas as etapas de projeto. Mesmo assim, ainda
aparecem as surpresas durante a execução. Projeto e obra devem ser realizados por
muitas mãos, por equipe multidisciplinar. Vamos começar esclarecendo quais são as
etapas de um Projeto Arquitetônico para ajudar você leitor a ter um norte na hora da
contratação do projeto.

FASES DO PROJETO DE ARQUITETURA

  • LEVANTAMENTO – levantamento físico (medição), topográfico (quando necessário),

documentação e briefing (documento que contém dados fornecidos pelo cliente que
irão nortear o projeto).

  • ESTUDO PRELIMINAR – costumo dizer que é o primeiro contato com o projeto, onde a

base para ocupação do terreno são as legislações vigentes, estudo de insolação e
estudo de volumetria. Nesta etapa, em geral, é apresentado ao cliente planta baixa e
estudo de volumetria no 3D (imagem tridimensional).

  • ANTEPROJETO – quando existe algum ajuste a ser feito no projeto apresentado na

etapa anterior, ele é revisto no anteprojeto. Essas revisões, quando necessárias, são
apresentadas através também de planta baixa e volumetria (3D), caso tenha alteração.

  • PROJETO LEGAL – Projeto feito para aprovação junto aos órgãos competentes na

Prefeitura, com base nas etapas definidas anteriormente, respeitando escala, recuos,
gabarito, tamanho de aberturas, entre outros aspectos.

No geral, é solicitado que o projeto legal apresente os seguintes desenhos:

  • Planta de Localização;
  • Planta de Situação, contendo sistema de esgotamento sanitário e armazenamento de lixo domiciliar;
  • Plantas baixa e cortes;
  • Planta de Cobertura;
  • Fachada;
  • Quadro de áreas, e;
  • Memórias de Cálculo do Sistema de esgotamento.

Importante esclarecer que o projeto legal requer três responsáveis: o proprietário, o autor do projeto de arquitetura e o responsável técnico pela obra. Sugiro sempre que o responsável técnico seja um engenheiro para realização do cálculo estrutural do projeto e dos projetos complementares de elétrica (cálculo de carga elétrica, dimensionamento dos disjuntores e quantitativo de materiais) e hidrossanitário (dimensionamento das tubulações do sistema de abastecimento de água, esgotamento sanitário, de instalações de águas pluviais e quantitativo dos materiais). Os projetos complementares serão elaborados após toda definição da arquitetura e do projeto executivo (o calculista precisa da definição de quantos pontos existem de água, de esgoto, quantas tomadas, tipo de iluminação para, assim, fornecer, com base no projeto executivo, os projetos complementares de elétrica e hidrossanitário. Além disso, é o responsável técnico que precisa acompanhar o processo estrutural da construção e a equipe de obra, garantindo segurança em todos os aspectos.

- PROJETO EXECUTIVO DE ARQUITETURA DE INTERIORES –

Etapa que vai deixar claro para o construtor o que ele precisa executar, tendo como base os seguintes projetos:

  •  Projeto técnico áreas molhadas dos espaços, apresentando materiais especificados, paginação de piso, detalhe de marmoraria, louças e metais quando houver;
  •  Projeto layout;
  •  Projeto paginação piso;
  •  Projeto rebaixo de gesso quando necessário;
  •  Projeto luminotécnico;
  •  Projeto locação pontos elétricos e hidráulicos;
  •  Vistas contemplando pontos elétricos, som, iluminação, refrigeração, telefonia e hidrossanitários quando houver, visando orientar a mão de obra terceirizada;
  •  Quadro quantitativo de materiais de acabamento fino (revestimentos, metais, louças...), exceto tinta e papel de parede.

Com esse projeto em mãos, chegou a hora de fazer o orçamento geral da sua obra e assim evitar surpresas desagradáveis como ter um gasto além do programado.

É importante também trazer ao conhecimento que existe o site do CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), que fornece o CUB (Custo Unitário básico) da construção civil por Estado, que é atualizado anualmente com os valores por categoria. É um valor estimado, mas que ajuda a ter noção do custo por metro quadrado. Claro que tudo vai depender das escolhas de acabamento, hoje o mercado tem uma variedade grande de preços. Para economizar é importante equilibrar e saber quando priorizar materiais de primeira linha e segunda linha.
O site é http://www.cub.org.br/.

-PROJETO COMO CONSTRUÍDO (AS BUILT)-

Projeto contendo as mudanças realizadas na obra durante sua execução e também o mapeamento em que se localizam as tubulações em geral. Essas informações exatas são importantes, pois evitam acidentes como atingir um cano d’água, por exemplo, na hora de furar a parede para colocar um quadro ou prender um móvel.

Após compreender todas as etapas que precisam ser respeitadas para o sucesso completo da sua obra, é hora de buscar os profissionais que farão esse trabalho com maestria e assim concretizar o sonho de construir!

E- mail : contato@liviamelo.com
Site: www.liviamelo.com
Instagram: @liviameloarquitetura

 

Comentários

Enviado por Andreia em
Lívia muito bem explicado termos técnicos colocado de forma suave para um entendimento geral do que envolve uma construção/projeto. Parabéns

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
1 + 0 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.

Marca da Agência Logomotiva - Presença Digital - Agência desenvolvedora e mantenedora